O rosto dessa garota de 9 anos foi usado para promover o aborto, até sua mãe ter uma brilhante vingança

12.579

Você nunca sabe quando uma pessoa horrível e repugnante aparecerá de um canto escuro da internet para criticar de forma cruel uma pessoa. Esse tipo de pessoa é tão covarde que fica nas sombras do anonimato. Com o uso do teclado eles compartilham pensamentos perturbadores e nem mesmo as crianças pequenas estão imunes de seu tratamento odioso.

Recentemente, os trolls do Twitter usaram uma foto de Sophia, uma menina severamente incapacitada de 9 anos para promover o aborto. Sua mãe respondeu de uma maneira que toda mãe faria – e começou uma guerra contra esse discurso de ódio sofrido por sua filha.

Sophia nasceu com deformidades faciais e deformidades nas mãos e pés. Quando ela fez um mês de vida, ela foi diagnosticada com a síndrome de Rett, um distúrbio cerebral que afeta permanentemente a linguagem e as funções motoras das crianças. Como resultado, Sophia precisa que sua família cuide dela 24 horas por dia.

“Ela já fez 22 cirurgias”, disse Weaver à CNN. “Ela tem um tubo de alimentação, um saco de colostomia e sofre constantemente de convulsões e engasgos por causa das deformidades e da síndrome de Rett”.

Como ativista da área da saúde, Weaver começou a falar mais sobre a condição de Sophia, e não demorou muito até os trolls atacarem a menina. “Essas pessoas te procuram só para querer te machucar”, disse a mãe.

“Há pessoas que se esforçam para garantir que você veja a crueldade delas. Algumas pessoas já me disseram até para matar minha filha, e com isso acabar com seu sofrimento.”

“Uma pessoa até compartilhou a foto de Sophia, juntamente com um parágrafo apoiando o aborto coagido, e ainda me marcaram no Twitter.” completou.

“Eu a bloqueei, e fiz a denúncia”, mas o Twitter me enviou uma mensagem dizendo que o post não violava nenhuma de suas políticas.

O tempo passou, mas o tweet ainda estava em alta, e o doloroso relato por trás dele ainda estava ativo. “[O troll] estava mencionando meu nome e alcançando meus seguidores no Twitter”, disse Weaver.

O tweet original com a foto de Sophia anexada a ele continuava assombrando Weaver. Ela pediu às pessoas para denunciá-lo e até mesmo contar sua história para uma estação de notícias local, esperando colocar pressão suficiente no Twitter e derrubar tudo. Após cerca de uma semana e meia de cobertura sem interrupções, Weaver recebeu outra mensagem do Twitter. Eles pediram desculpas, removeram o post ofensivo e suspenderam a conta de onde veio a agressão.

Satisfeita com o resultado, Weaver começou a falar sobre a forma como o Twitter analisava esse tipo de conteúdo. “O Twitter precisa adicionar uma categoria para as pessoas com deficiência em seus relatórios de violação”, disse ela. “Caso contrário, mais e mais pessoas iriam continuar a impor o ódio contra as pessoas que sofrem com algum tipo de deficiência.”

Com isso o porta-voz da empresa divulgou para a CNN a nova “política de conduta odiosa” da plataforma. E ela diz: “Você não pode promover violência contra ou atacar ou ameaçar diretamente outras pessoas com base em raça, etnia, nacionalidade, orientação sexual, gênero e identidade de gênero, afiliação religiosa, idade, deficiência ou doença.” “ Todas essas considerações são levadas em conta ao analisar as violações relatadas das Regras do Twitter”, disse o porta-voz.

Que vitória maravilhosa dessa mãe.

Twitter (h / t cnn )

Receba as nossas postagens por e-mail. É grátis.
Junte-se aos mais de 25.000 outros assinantes
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.

%d blogueiros gostam disto: